quarta-feira, 26 de dezembro de 2012


Eu sei quem trama e quem faz drama. Sei também quem está do meu lado e quem me ama.

segunda-feira, 24 de dezembro de 2012


Sempre que duas pessoas se perdoam mutuamente, É Natal. Sempre que você mostra compreenção para com seus filhos, É Natal. Sempre que você ajuda a alguem, É Natal. Sempre que alguém se decide a viver honestamente, É Natal. Sempre que nasce uma criança, É Natal. Sempre que você experimentar dar a tua vida um novo sentido, É Natal. Sempre que você se olha com os olhos do "coração", com um sorriso nos lábios É Natal, pois nasceu o Amor, pois nasceu a Paz, pois nasceu a Justiça pois nasceu a Esperança, pois nasceu a Alegria, Pois nasceu Cristo, Nosso Senhor! Desejo um futuro feliz e um feliz, feliz natal!!!

sábado, 15 de dezembro de 2012

domingo, 9 de dezembro de 2012


É que eu tenho essa mania de querer pegar as pessoas no colo, quando elas estão doendo... De querer sentir as mesmas dores.
Tenho essa mania de querer curar as dores com palavras. Ouvindo, falando... Não gosto de ver ninguem se doendo, sentindo solidão...
 
Só deseja um amor saudável, quem já viveu uma paixão dilacerante. Porque a paixão corroía tudo por dentro até tirar o fôlego, mas até a dor parecia bonita: aquele único instante de felicidade com o Outro compensava os trezentos outros de infelicidade. Só deseja ter um dia tranquilo, sossegado, quem tem a intensidade à flor da pele, quem acorda suspirando a vida, devorando o dia, se lambuzando de tudo sem conseguir tocar nas coisas com a ponta dos dedos. Só deseja constantemente a companhia das palavras quem escreve. Para estas, o silêncio nunca é mudo, é sempre uma possibilidade. Só consegue vislumbrar a paz quem se investiga, quem tem Consciência do que deseja e pode ou não obter, quem aprendeu a lidar com o imediatismo.
 A escrita ensina a esperar, a escutar a letra da música e depois a melodia, juntas e separadas. A escutar a história do Outro sem fazer intervenções antes da conclusão. A compreender que os espertinhos são aqueles que sempre vão terminar levando uma rasteira da própria ingenuidade, porque perderam a inocência. Só consegue acordar para a vida, quem viveu solitário e insone dentro de uma noite interminável e caminhou sonolento pelo resto do dia, quem perdeu o sol. Só consegue apreciar a nudez, quem não é vulgar. Quem percebe com naturalidade que um corpo é como uma árvore, que o seu ambiente é extensão do meio ambiente e que, juntos, ambos são um ambiente inteiro. Só julga acidamente os Outros o tempo todo quem é recalcado. Quem se aprisionou na ideia do que é ridículo e não consegue suportar um ser autêntico.  Só consegue ser irônico, quem é inteligente. Só consegue ser doce, quem já foi ferido e curado pela espiritualidade.
Só consegue o que quer os que têm desejos justos. E acreditam.
 A partir de hoje, vou deixar que o Outro seja: uma boa ou má pessoa, o que lhe aprouver. Tudo que julgo ou critico, tomo como referencial os meus valores. Não há como saber quem está certo a partir disto, e nem tem importância no final das

contas. A partir de agora, eu sei quem quero atrair para a minha vida: pessoas que não me façam sentir que estou traindo a mim mesma. Tudo é resolvido com um olhar distanciado e um afastamento físico. Não enfio mais poesia em situações onde o protagonista não sou eu e o coadjuvante não consegue ser lírico.
 
Uau!! rs

quinta-feira, 6 de dezembro de 2012

Se as dores são inevitáveis, então que as alegrias sejam intermináveis.