terça-feira, 12 de agosto de 2014


Meu Pai. Carrego no peito todo amor que ainda tenho para lhe dar. Passaram-se momentos difíceis, mas todos os últimos momentos juntos valeu para recompensar. Chorei várias noites quando te procurei e não consegui te encontrar, Abracei forte meu travesseiro com medo de você não enxergar seus erros. Pedi várias vezes a Deus para dar uma brecha e te iluminar. Sozinha andei pelas ruas vazias da cidade a te procurar. E hoje descobri que o tempo não deixa barreiras, que nossa distância só serviu para nos aproximar. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário