segunda-feira, 6 de outubro de 2014


Deveria ter me adaptado mais com tempo, ter me programado antes e permanecido nas minhas conclusões, ditas por quase todos como precipitadas. Deveria ter me importado menos com quem não me dava a mínima e não ter me justificado tanto ou voltado algumas vezes pra trás. Deveria ter dado ouvidos ao silêncio e não as pessoas, ter me dado conta a tempo que a realidade é outra. Deveria ter argumentado aquilo que estava com vontade, sem medo do resultado por ter dito verdade. Mas eu fui aquela personagem meio que oculta da história, que aceitava tudo calada, a que fala pouco e ia embora sem se despedir, a que deixava flores no meio do caminho e ninguém notava. Mas a vida nos ensina conforme o filme vai passando. O final nem sempre é o "felizes paras sempre", mas tudo o que passamos é o que nos encoraja para escrevermos uma nova história. Jogo esse filme fora e quanto aos créditos.. Não preciso deles. Não Mais.

Um comentário:

  1. A frase jogando flores pelo caminho e ninguém notando, causou algo aqui dentro...
    Você é do tipo de pessoa que encanta, até suas frases tocam o coração...

    ResponderExcluir