domingo, 2 de agosto de 2015

Eu você e o Nino Andrade

Ela senta na minha cama de calcinha, dá um sorrisinho bobo e diz que adora quando eu falo que ela é minha. O pior é que ela sabe que eu sou viciado nela e que sem isso eu sou metade. Ela sabe me pirar, é inocência e é maldade em uma dose que não mata. Ela se perde na minha boca e o corpo dela me maltrata. Eu já não me importo se isso tudo é correto, a gente deita na sacada e faz das estrelas o nosso teto. O corpo dela todo treme, a unha arranha as minhas costas e o fogo queima até o outro dia. É tão bom te acordar com beijos, um café e bom dia. Você me abraça e ri, aí a vida não parece mais vazia. Fecha os olhos agora e faz de conta que só existe nós dois no mundo. Essa é a nossa história e eu não quero perder mais nenhum segundo.

- Nino Andrade.

Nenhum comentário:

Postar um comentário