domingo, 30 de agosto de 2015

Ela é linda ao acordar sem maquiagem e despentiada, ela é linda quando usa a minha camisa de pijama, ela fica super linda ao ficar aquela cara de brava, ela é linda quando fica repetindo "você é birrenta demais amor." Ela é linda falando mal das tals "amiguinhas" que ela diz que tenho, ela fica linda falando do nosso casamento (que já estamos casadas, na minha rotina de pedir ela em casamento) ela é linda falando da minha comida (mesmo quando algo não ficou como planejado Rs), ela não fica feia nem brigada comigo, ela é linda por dentro e por fora, são 10 meses juntas e não enjoei e nem vou enjoar desse presente de Deus na minha vida.

#tivequeAdiantar #10 #vida

quinta-feira, 20 de agosto de 2015

A mulher que não queria pegar ninguém

Reza a lenda que algum tempo atrás uma certa mulher resolveu que não pegaria mais ninguém. Era nova, tinha lá os seus 25 anos e algumas poucas experiências para contar. Ninguém sabe ao certo quando ela tomou a decisão de não pegar mais ninguém, mas o que se fala é que foi em uma manhã de domingo pós-sábado apocalíptico.

As amigas mais próximas foram as primeiras a estranhar. Ao fazerem o convite semanal parar curtir a night em alguma balada da cidade, receberam como resposta um:

_ Não to afim! Não quero pegar ninguém.

Não resignadas com a situação, insistiram no convite, mas agora com uma estética mais agradável:

_ Amiga, vamos pra dançar apenas. Disseram elas.

_ Não, vou ficar em casa mesmo. Respondeu tranquilamente.

Tudo parecia muito estranho e continuou assim até mesmo quando o ex-namorado dela, sem ter o que fazer e quem pegar, resolveu entrar em contato pelo Whatsapp.

_ Oi, tudo bem? Tá de bobeira? Vem assistir um filme aqui em casa. Disse ele esperançoso.

_ Não, não quero ficar com ninguém. Respondeu rapidamente.

Que loucura! Ninguém entendia mais nada. Seria depressão? Alguma doença do coração? O que poderia estar passando na cabeça de uma mulher jovem como ela para querer viver assim? Sem pegação. Será que ela iria sobreviver? Na época em que tudo isso aconteceu muitos achavam que ela não duraria muito tempo. Um suicídio ou uma viagem sem volta para os montes tibetanos era o que estava nas mesas de apostas.

O tempo passou e nunca mais se ouviu falar dessa mulher. Uns dizem que morreu de solidão, outros, que por não ter mais quem pegar, foi parar em algum hospício pois ninguém conseguiria aguentar tanto tempo assim sem pegar alguém. Por fim, alguns poucos acreditam que ela esteja bem. Trabalhando, saudável, em paz consigo mesma e com muitos planos de vida. Pode ser que esteja em casa agora, ou no trabalho, mas o certo é que provavelmente esteja terminando de ler esse texto e concluindo que liberdade é ter vontade própria para fazer o que se quer, e não tudo o que dizem que é bom fazer.

Deve estar feliz.

quinta-feira, 13 de agosto de 2015

O amor não vem com bula


O quanto você sabe do amor não depende de quantos manuais já leu ou de quantos poetas conhece. Depende de quanta doçura cabe naqueles olhos. De quanta segurança há naquele abraço, de quanta pressa tem o seu coração em bater quando ela chega, mesmo que essa cena já tenha se repetido um milhão de vezes.

Depende da sua capacidade de enxergar a beleza por trás do rosto inchado de quem acabou de acordar, das unhas por fazer de quem não conseguiu ir à manicure. Depende de quantas vezes você sorri com uma lembrança, e do quanto imbecil se sente ao constatar que ainda se lembra da roupa que vestia no primeiro encontro.

Depende de quantas vezes você já desistiu. Amar é, muitas vezes, desistir. Desistir de cobrar, desistir de magoar, desistir de insistir. O quanto você sabe do amor não depende de quantos significados você já decorou – ele tem um significado que é só seu. Depende de quantos finais de semana, em casa, já foram os melhores de todos. De quantas vezes você se surpreendeu. E riu, e chorou, e enlouqueceu, e partiu, mas sempre voltou. Depende de quantas vezes você já se apaixonou pelo mesmo sorriso, pela mesma voz cansada ao telefone, pelo mesmo abraço noturno, pela mesma mão carinhosa.
O saber do amor não depende da arrogância do conhecer, não depende de sabedoria ou sapiência. Depende de quantas vezes você já se identificou com todas as canções de amor do universo. É que quando se ama, tudo faz todo o sentido.

Depende do quanto você se sente livre e seguro ao mesmo tempo. Do quanto você vive o amor e planta o amor – depende, pura e simplesmente, do quanto você sabe amar, por mais cafona que isso pareça.

quarta-feira, 12 de agosto de 2015

Minha namorada diz que está de TPM, eu

O Valioso Tempo dos Maduros

“Contei meus anos e descobri que terei menos tempo para viver daqui para a frente do que já vivi até agora.
Tenho muito mais passado do que futuro.
Sinto-me como aquele menino que recebeu uma bacia de cerejas.
As primeiras, ele chupou displicente, mas percebendo
que faltam poucas, rói o caroço.
Já não tenho tempo para lidar com mediocridades.
Não quero estar em reuniões onde desfilam egos inflamados.
Inquieto-me com invejosos tentando destruir quem eles admiram, cobiçando seus lugares, talentos e sorte.
Já não tenho tempo para conversas intermináveis,
para discutir assuntos inúteis sobre vidas alheias que nem fazem parte da minha.
Já não tenho tempo para administrar melindres de pessoas, que apesar da idade cronológica, são imaturos.
Detesto fazer acareação de desafetos que brigaram pelo majestoso cargo de secretário geral do coral.
As pessoas não debatem conteúdos, apenas os rótulos.
Meu tempo tornou-se escasso para debater rótulos, quero a essência, minha alma tem pressa.
Sem muitas cerejas na bacia, quero viver ao lado de gente humana, muito humana; que sabe rir de seus tropeços, não se encanta com triunfos, não se considera eleita antes da hora, não foge de sua mortalidade, quero caminhar perto de coisas e pessoas de verdade.
O essencial faz a vida valer a pena.
E para mim, basta o essencial!"


Mário de Andrade

terça-feira, 11 de agosto de 2015

Me acostumei tanto a pensar em você, que quando eu não penso, parece que esqueci alguma coisa em casa.

sexta-feira, 7 de agosto de 2015

Mais um dia dos Pais...

Tudo o que eu quero é tão pouco e tão simples. Julgo que não estou pedindo demais, nada que não seja impossível de você me dar. Este mundo tem tantas coisas fascinantes e eu poderia querer dinheiro e bens matérias. Mas meu coração não implora por nada disso. No fundo você sabe que o que ele deseja é sua presença e seu amor de pai.

Você tenta dar suas explicações que julga serem válidas. Todas as suas ausências são acompanhadas de desculpas e justificações. Mas para mim, nada do que diga importa, se sou eu quem sofre com esse vazio. É um difícil sentimento de agonia não ter você por perto para que veja meus feitos. É uma grande dor não ter um pai mais achegado que me possa dar os melhores conselhos, para me orientar em minhas decisões. Ter um pai que me abrace e que mostre que me ama de verdade. É uma triste realidade você ter tudo para ser meu herói e virar minha decepção.

domingo, 2 de agosto de 2015

Eu você e o Nino Andrade

Ela senta na minha cama de calcinha, dá um sorrisinho bobo e diz que adora quando eu falo que ela é minha. O pior é que ela sabe que eu sou viciado nela e que sem isso eu sou metade. Ela sabe me pirar, é inocência e é maldade em uma dose que não mata. Ela se perde na minha boca e o corpo dela me maltrata. Eu já não me importo se isso tudo é correto, a gente deita na sacada e faz das estrelas o nosso teto. O corpo dela todo treme, a unha arranha as minhas costas e o fogo queima até o outro dia. É tão bom te acordar com beijos, um café e bom dia. Você me abraça e ri, aí a vida não parece mais vazia. Fecha os olhos agora e faz de conta que só existe nós dois no mundo. Essa é a nossa história e eu não quero perder mais nenhum segundo.

- Nino Andrade.
Ninguém é de ferro. Somos feitos para rasgar e remendar. Não tem essa de que "sou inquebrável". Nós nos quebramos por inteiro para depois ir juntando nossos pedaços pelo caminho. Essa é a única maneira de seguir, nos achando. É nesse procura, me acho em você, me sinto inquebrável, inteira e não em pedaços mais sim cada dia mais derretida por você. #9S2