sexta-feira, 22 de abril de 2016

Eu aceito Senhor


segunda-feira, 4 de abril de 2016

É eu sei,  sou completamente suspeita para falar de desapego. Sou apegada a tudo.
Tudo mesmo. Fotos, bilhetes,  papéis de chocolates, ainda tenho a primeira rosa escondida a sete chaves.
Sou do tipo de pessoa tão,  tão apegada a tudo,  que guardo lembranças da minha infância,  cheiros,  sabores,  pessoas, lugares, tudinho aqui.
No fundo,  isso me faz bem, me faz lembrar de onde eu vim, onde posso ir.
Mas existem coisas que precisam ser excluídas da vida, e apagada da memória.
Sim, eu tenho ainda muito para jogar fora.
Todos temos na verdade. O que me difere,  é que embora esteja aqui,  sei que não devo ficar remoendo,  tentando achar respostas,  deixo nas mãos de Deus e dos ventos para que levem embora o que for breve,  e deixe o que for para ser.
Meu passado não é nada branco,  tenho muito do que me orgulhar,  e também do que me envergonhar,  poderia ter feito diferente, mas não,  eu segui meu coração.
Sobre desapego afetivo,  não posso descrever,  nunca senti,  a única mulher que eu amei,  está ao meu lado.
Sim, eu tive outros relacionamentos,  mas o único sentimento que existia era um gostar,  nada mais que isso,  e quando o gostar acabou,  eu me libertei.
De mim,  e do que eu achei que sentia,  quando o gostar saiu pela ultima vez e bateu a porta. Eu faxinei a casa,  abri as janelas,  joguei fora as poucas lembranças que restaram,  e com todo o prazer do mundo,  soltei fogos de felicidade dentro de mim. E com a casa limpa BOOM!!! Ela preencheu.. E ela me confirma a cada manha que sim... Valeu mais que a pena.
Não,  eu não sou feita de pedra,  acontece que eu não me permiti sofrer, pois todos os dias quando me olho no espelho,  vejo ali,  o melhor motivo pra seguir.
Sim ja cai,  me ralei,  mas sobrevivi,  me reergui.
Acredito que tudo tem um propósito,  por mais que algo não saia como o planejado,  um dia vira aprendizado. E disso não quero me desapegar nunca.